29
Abril
18:00 — 21:00
São Miguel – Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas
Rua Adolfo Coutinho de Medeiros, s/n

Ribeira Grande, 9600-516
A carregar Eventos
  • Este evento já decorreu.

O ARQUIPÉLAGO- Centro de Artes Contemporâneas irá inaugurar um projeto expositivo de Catarina Branco, conceituada artista plástica açoriana, que tem levado os Açores ao mundo. Esta exposição é uma viagem pelo seu percurso artístico desde 2009, que culmina com a mais recente escultura “Dádiva”, criada e produzida em Residência Artística no Centro de Artes Contemporâneas.

A exposição ficará patente até 30 de junho.

As obras de Catarina Branco são um apelo à contemplação, contrariando a velocidade da nossa vida nos tempos atuais. Talvez isto se deva ao facto de serem intrinsecamente açorianas, mas prontas para dar uma lição de esperança e alegria a toda a humanidade.

CATARINA BRANCO nasceu em São Miguel, Açores, em 1974. Viveu a sua infância e adolescência nos Fenais da Luz, freguesia rural do Concelho de Ponta Delgada.

Em 2000 terminou a Licenciatura em Pintura na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Realizou workshops de gravura, desenho e pintura – orientados pelos artistas Bartolomeu dos Santos, João Queiroz e Pedro Calapez, respectivamente.

Em 1999 foi-lhe atribuido o Prémio de Pintura e Escultura D. Fernando II, Sintra. Tem vindo a participar em bienais internacionais como a de Vila Nova de Cerveira e em feiras internacionais de arte contemporânea.

De entre as exposições que realizou, destacam-se “Fenais da Luz” (2010), na Fonseca Macedo – Arte Contemporânea, Ponta Delgada, e “Fez-se Luz” (2012), no Museu Carlos Machado, Ponta Delgada, e em 2013, no Centro Cultural CEEE Érico Verissimo, Rio Grande do Sul, Brasil.

As suas obras integram várias colecções públicas e privadas.

É representada pela Fonseca Macedo – Arte Contemporânea, em Ponta Delgada, Açores.

Informações e fotografia retiradas do site Carpe Diem.

 

Ao mesmo tempo, será inaugurada a exposição Tempo Líquido , a primeira e grande exposição que o ARQUIPÉLAGO – Centro de Artes Contemporâneas dedica à Vídeo Arte. A curadora espanhola Carolina Grau reúne catorze vídeos de artistas internacionais que refletem distintas décadas da sociedade contemporânea que questionam o tão atual e constante estado de mudança, um “estado líquido”. Salientamos, que é a primeira vez em Portugal que duas coleções privadas da Península Ibérica são expostas em simultâneo, ou seja como o próprio nome indica em “diálogo”.

Obras icónicas de Bruce Nauman “Violent Incident. Man-woman segment”, 1986 , Doug Aitken “Electric Earth (linear version)”, 1999 , Douglas Gordon, “Play dead, Real time (other way)”, 2003, Peter Fischli & David Weiss, “Der Lauf der Dinge (The Way Things Go)”, 1987, entre outras, estarão patentes no ARQUIPÉLAGO – Centro de Artes Contemporâneas até dia 30 de julho.

 

PARTILHE ESTE EVENTO: