Open/Close Menu Todos os eventos dos Açores

No dia 8 de setembro comemora-se o Dia da Solidariedade das Cidades Património Mundial, e o Top Azores não poderia deixar passar a data sem homenagear a nossa cidade Património Mundial – a «Invicta» açoriana, Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

Angra do Heroísmo foi classificada como Património Mundial pela UNESCO em 1983, em reconhecimento da sua beleza e valor histórico representado em igrejas, palácios, conventos, museus e fortalezas de um urbanismo singular!

Nesta cidade estão vinculadas as marcas de um tempo que ainda hoje é perceptível, sendo uma referência cultural e histórica.

Venha conhecê-la, um pouco, connosco!

1. Porto das Pipas

O grande destaque de Angra adveio do seu porto, importante escala da Carreira da Índia. O porto prestava serviços de reabastecimento e reaparelhamento das embarcações carregadas de mercadorias de valor, oriundas da Índia.

No contexto filipino, vieram os galeões espanhóis carregados de ouro, prata e especiarias, numa rota que começava em Cartagena das Índias, passava por Porto Rico e por Angra, para chegar a Sevilha.

Para apoiar essa navegação foram implantados os primeiros estaleiros navais na Prainha e no Porto das Pipas, e as fortificações que fecham a Baía de Angra: o Castelo de São Sebastião e o de São João Batista, para evitar o ataque de piratas e corsários.

2. Castelo de São Sebastião

Mandado edificar no tempo de Dom Sebastião (século XVI) no topo de um pequena falésia no Largo do Porto de Pipas. Cruzava fogos com a Fortaleza do Monte Brasil, na defesa do porto de Pipas, à época o mais importante ancoradouro e estaleiro da ilha onde escalavam as embarcações da Carreira da Índia e as frotas do Brasil, em trânsito para o Reino de Portugal.

Atualmente, esta fortaleza funciona como Pousada de Portugal.

3.  Reserva Florestal de Recreio do Monte Brasil

O Monte Brasil proporciona uma das mais belas paisagens da ilha. Da erupção do seu vulcão (possivelmente há mais de 20 000 anos), a flora endémica de Angra do Heroísmo ficou prisioneira das cinzas e lama, dando origem a fósseis. Alguns deles fazem parte do espólio da Associação “Os Montanheiros”. No Monte Brasil também se encontram o Castelo e a Igreja de São João Batista.

4. Fortaleza de São João Batista

Integra um complexo defensivo iniciado durante a Dinastia Filipina (1580-1640). Devido ao seu porte, constitui-se na mais importante fortificação do arquipélago, estruturada como um dos vértices do triângulo defensivo estratégico espanhol que, à época, protegia as frotas da prata americana, da Carreira da Índia e do Brasil.

É ainda uma das mais vastas fortificações remanescentes na atualidade.

Situa-se no Monte Brasil e no seu interior estão o Palácio dos Governadores, a Capela de Santa Catarina e a Igreja de São João Batista, mandada erigir por D. João IV, logo depois da Restauração da Independência.

5. Parque Municipal do Relvão

Foto: Carlos Luís M C da Cruz

Serviu como campo de manobras militares na Guerra Civil Portuguesa (1828-1834) e como local de castigos e execuções por fuzilamento, aquando da Batalha do Pico do Seleiro, a 4 de Outubro de 1828. Atualmente é uma área de lazer com diversos equipamentos como tabelas de basquetebol, redes de voleibol, parque infantil, e muitos outros. No Largo da Boa Nova.

6. Mosteiro de São Gonçalo

Foto: Carlos Luís M C da Cruz

Fundado em 1545, é o mais antigo mosteiro da cidade, o primeiro destinado a freiras – clarissas –, o maior conjunto conventual de Angra e um dos maiores dos Açores.

Com dois claustros, cerca e granéis, a Igreja e os coros, alto e baixo, são no estilo 5.º Joanino, dos mais expressivos do arquipélago. No seu interior, barroco e conventual destacam-se: o cadeiral do coro alto com figuras fantásticas; o conjunto de painéis de azulejaria português (séc. XVIII); o Cristo crucificado em cruz de prata (séc. XVII, escola espanhola, possivelmente sul-americana); e o rico revestimento em talha, telas e teto pintado.

Na Rua Recreio dos Artistas.

7. Museu de Angra do Heroísmo (Núcleo de História Militar Manuel Coelho Baptista de Lima)

 

Foto: Direção Regional da Cultura

O Núcleo de História Militar Manuel Coelho Baptista de Lima, instalado no antigo Hospital Militar da Boa Nova, acolhe a notável Coleção de Militaria do Museu de Angra do Heroísmo, sendo o único museu português não integrado no Ministério da Defesa subordinado a esta temática, em que estão representadas não só os três ramos das Forças Armadas nacionais e estrangeiras, nomeadamente a Polícia de Segurança Pública e a Guarda Nacional Republicana.

Composto por peças de artilharia ligeira e pesada, armas de fogo, armas brancas, proteções metálicas, projéteis, equipamento de logística, arreios, uniformes e condecorações, este acervo, na sua maior parte acomodado em reservas concebidas em obediência à tipologia dos diferentes materiais, reflete o interesse pela área militar e o espírito colecionista do primeiro diretor do Museu de Angra do Heroísmo, Manuel Coelho Baptista de Lima, que, durante mais de três décadas, garantiu por várias vias o seu enriquecimento.

Na Rua da Boa Nova.

8. Pátio da Alfândega

Neste largo convergem as ruas Direita e do Santo Espírito. Neste largo encontrará a Marina, o Portão do Mar e a Igreja da Misericórdia, edifício do século XVII com uma interessante coleção de escultura e pintura do século XVIII.

Já que se encontra no Pátio da Alfândega, suba a Rua Direita – em direção à Praça Velha – uma das vias mais conhecidas da cidade, que se apresenta ladeada por elegantes edifícios com belas fachadas e varandas floridas, em que se destacam as cores dos seus rebordos, as janelas de guilhotina e as cantarias multicores, além da Igreja de São Sebastião, de estrutura gótica tardia, pouco comum na ilha.

9. Praça Velha

Constitui o centro da cidade, núcleo a partir do qual se desenvolveram as principais artérias da malha urbana de Angra do Heroísmo. Ao longo da sua história foi mercado de gado, palco de corridas de toiros, palco de enforcamentos ou palco da música da Banda de Caçadores durante o século XIX. Nesta praça encontra-se os Paços do Concelho, majestosa construção do século XIX.

10. Igreja do Colégio e Palácio dos Capitães Generais

Antigo Colégio dos Jesuítas, este edifício foi adaptado a residência dos Capitães Generais a partir de 1766. No seu interior há um rico espólio de arte, com retratos a óleo em tamanho natural dos reis da dinastia de Bragança até D. Maria II. A Igreja anexa, Igreja do Colégio ou Igreja de Santo Inácio de Loyola é notável pelas suas talhas, douramentos, estatuária e painéis de pintura seiscentista. Possui, ainda, a melhor coleção de azulejos holandeses do século XVII existente fora da Holanda.

11. Teatro Angrense

Do século XIX, é um teatro em ferradura, muito divulgado com a evolução da ópera italiana e do teatro romântico. Na Rua da Esperança, 48-52.


12. Jardim Duque da Terceira

Ocupa uma área de cerca de 17 500 m2, considerado um dos mais belos jardins clássicos dos Açores. Está implantado nos terrenos outrora ocupados pelas cercas dos antigos Convento dos Jesuítas e Convento de São Francisco, onde atualmente se encontram respetivamente o Palácio dos Capitães-Generais e o Museu de Angra do Heroísmo, elevando-se em patamares ligados por um declive – com caminhos desenhados com pedras de basalto -, até ao Alto da Memória, monumento com a forma de obelisco, erguido entre 1845 e 1856, em homenagem a Pedro IV de Portugal e à causa liberal.

13. Igreja do Santíssimo Salvador (Sé de Angra)

Construída nos moldes da arquitetura filipina (século XVI). Apresenta no seu interior pormenores de grande interesse como a enorme capela-mor, azulejos, imagens, pinturas e pratas do século XVII, um tesouro rico, com uma galeria de retratos a óleo dos prelados diocesanos e um magnífico pontifical de D. João V. Na Rua da Sé.

14. Palácio Bettencourt

Foto: Concierge.2C.

Nas traseiras da Sé, encontra-se o Palácio Bettencourt, edifício barroco edificado nos finais do século XVIII. Na fachada, um pórtico em cantaria da região, constituído por duas colunas salomónicas, encimadas por capitéis e arquitrave, e uma ampla cartela que envolve as armas dos Bettencourt.

Na Rua da Rosa, 49.

Foi neste palácio que funcionou a Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Angra do Heroísmo, antes do novo edifício, na Rua do Morrão, 42.

15. Convento de São Francisco

Foto: Carlos Luís M C da Cruz

Imponente edifício do século XVIII, de grandes dimensões, de linhas austeras, com as fachadas marcadas pelas pilastras e vãos das janelas. A igreja anexa, dedicada a Nossa Senhora da Guia, apresenta um interior de três naves, dividido por duas ordens de arcos que evocam a arquitetura românica. O seu conjunto de preciosidades artísticas é notável, destacando-se os retábulos em talha dourada nos altares, imagens e pinturas barrocas e grandes composições em azulejos. Na Rua da Boavista, Angra do Heroísmo.

A partir de 1969 está nele instalado o Museu de Angra do Heroísmo.

16. Igreja de Nossa Senhora da Conceição e Palacete Silveira e Paulo

Na Rua da Conceição poderá apreciar a Igreja de Nossa Senhora da Conceição de feição já renascença e maneirista. Saliente-se o altar-mor, de estilo barroco português, e o altar do Santíssimo, onde se percebe gosto orientalizante, e o Palacete Silveira e Paulo, acabado de construir em 1902. O seu interior apresenta, ao gosto da época, uma bela coleção de revestimentos a estuque. Após obras de restauro e adaptação é, desde 2003, sede da Direção Regional da Cultura e do Centro do Conhecimento dos Açores.

17. Solar e Capela da Nossa Senhora dos Remédios

Foto: José Luís Ávila Silveira e Pedro Noronha e Costa

Embora apresente, hoje, a data de 1755 sobre o portão principal, começou a ser construído no século XVI, por Pêro Anes do Canto, primeiro Provedor das Armadas de El-Rei ou Armador.

Atualmente pertence ao Governo Regional dos Açores, servindo como sede das Secretarias Regionais.

No Largo dos Remédios.

18. Solar da Madre de Deus

Foto: Carlos Luís M C da Cruz

Exemplo de casa solarenga dos séculos XVII/XVIII, típica das zonas mais altas das cidades portuárias portuguesas do Ultramar. Aqui morou João de Bettencourt de Vasconcelos, Capitão-mor de ordenanças e um dos comandantes do cerco à fortaleza do Monte Brasil, em 1641-42.

Está aqui instalado, atualmente, o Gabinete do Representante da República para os Açores.

A cidade de Angra do Heroísmo tem muitas lições de História para nos dar, muitos marcos históricos para recordar e monumentos para apreciar! Muitos mais serão, mas como já vamos em 18, decidimos parar, por achar que a lista já está a caminhar para “dar a volta ao bilhar grande”. Mas que outras belezas aprecia no centro histórico de Angra do Heroísmo que não colocamos aqui? Qual o seu preferido? Comente aqui ou na publicação na nossa página do Facebook.

Publicidade

PARTILHE ESTE EVENTO:

Logo_footer   

   

error: O conteúdo deste evento está protegido!