12
Abril
21:00 — 22:30
Terceira – Instituto Açoriano de Cultura
Alto das Covas, Apartado 67

Angra do Heroísmo, 9700-220
A carregar Eventos
  • Este evento já decorreu.

Sexta-feira, 12 de abril, pelas 21h00, o IAC recebe Carlos Vale Ferraz no Grémio das Nove, para uma conversa sobre África na Literatura Portuguesa. Onde o autor tentará responder a diversas questões, relacionadas quer com a representação do continente africano na literatura portuguesa, em particular na ficção, no romance, desde o final do século XIX aos nossos dias, quer com o modo como a questão colonial africana foi tratada pelos escritores portugueses. Questões que incluem o Ultimato Inglês, a Conferência de Berlim e a definição dos espaços coloniais, a passagem da Monarquia para a República, a Grande Guerra, o Estado Novo, a Guerra Colonial e o pós-25 de Abril. Outras questões serão a de saber se existe uma literatura portuguesa de temática colonial, se existe uma geração de escritores da guerra e do colonialismo e, ainda, uma literatura da pós-colonialidade. Bem como a de se tentar perceber qual é o estado atual de África, enquanto tema, na literatura portuguesa e na literatura em português.

 

Carlos Manuel Serpa de Matos Gomes nasceu em Vila Nova da Barquinha, em 1946) e assina os seus livros com o pseudónimo Carlos Vale Ferraz. Fez os estudos secundários no Colégio Nun’Alvares, em Tomar e ingressou na Academia Militar, em 1963. É licenciado em Ciências Militares, com pós-graduações no Instituto Superior Militar e no Instituto de Defesa Nacional. Cumpriu comissões militares em Moçambique, Angola e Guiné. Pertenceu à primeira comissão coordenadora do Movimento dos Capitães, na Guiné. Participou no 25 de Abril de 1974 e no processo político que se seguiu. Além da carreira militar, desenvolveu intensa atividade como escritor de ficção e dedicou-se à investigação da História Militar contemporânea. É autor de uma vasta obra, de que se destacam os romances “Nó Cego”, considerado hoje um clássico da literatura da época da guerra colonial; “Os Lobos Não Usam Coleira” (adaptado ao cinema por António-Pedro Vasconcelos com o título “Os Imortais”); “Fala-me de África” (que serviu de base à série da RTP “Regresso a Sizalinda”), “Basta-me Viver” e “A Última Viúva de África” (vencedor do Prémio Literário Fernando Namora/2018). Tem publicado também contos em várias coletâneas, nomeadamente “Memórias da Guerra Colonial” e “Uma Terra Prometida”.  A sua obra foi tema da tese de doutoramento do Professor Rui Teixeira na Universidade de Colónia.

Autor dos argumentos do filme “Portugal SA”, de Ruy Guerra e da série “Regresso a Sizalinda”, realizada por Jorge Queiroga, colaborou com Maria de Medeiros no guião do filme “Capitães de Abril”, onde foi também ator.

Na área da investigação de História Militar publicou várias obras sobre a guerra colonial e tem publicado artigos sobre africanização, colonização e descolonização na “Revista de Estudos Universitários do CES/Universidade de Coimbra” e “Publicações da Academia Militar”. É conferencista convidado do Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.

PARTILHE ESTE EVENTO:

Detalhes

Data:
Abril, 12
Hora:
21:00 - 22:30
Categorias de Evento:
,
Etiquetas de Evento:
, , ,