Open/Close Menu Todos os eventos dos Açores

1. A Ilha dos Açores não existe. 

Os Açores são um arquipélago composto por nove ilhas. Santa Maria, São Miguel, Terceira, Pico, Faial, São Jorge, Graciosa, Flores e Corvo. Das mãos sobra apenas um dedo para a maior não ilha, o Ilhéu de Vila Franca, na Ilha de São Miguel. Confuso? Pois, e ainda só agora começou.

2. Porque o arquipélago se chama Açores?

Diz-se que os primeiros navegadores deram conta da existência de muitas aves que pareciam ser Açores. Se tivessem partilhado numa rede social provavelmente aparecia logo alguém a dizer que estava mal e que afinal eram Milhafres. Ainda bem, Açores soa muito melhor.

3. É verdade que existem mais vacas que pessoas?

Às vezes é difícil destrinçar. Mas segundo os últimos dados (2009) existem 248 763 “vacas” e 245.283 pessoas nos Açores. Elas é que mandam. É um pouco como aquele sócio que detém 51% da empresa. Porém o que importa é que juntos somos quase meio milhão e não podíamos ser mais felizes. Obrigado por perguntar.

4. O que são chicharros?

Um chicharro é um carapau mais pequeno, ou então é um “jaquinzinho” para o grandote. Passou recentemente a ser também uma medida de avaliação de sustentabilidade (M.A.S), por exemplo, quando chegamos à praça e vemos chicharros a 25 euros o quilo a primeira coisa que vem à cabeça de uma pessoa é: “Isto é insustentável!” Ok, pedimos desculpa, é a segunda coisa em que pensamos. A primeira não podemos escrever aqui…

5. Sim, também fazemos comida debaixo da terra.

Se em alguns países fazem de uma cerimónia fúnebre uma festa, então o que dizer quando se põe uns quantos quilos de carne de vaca, porco, frango, chouriços, morcelas e couves debaixo da terra? Nós por cá chamamos banquete e, para além do cheiro a enxofre, cheira que não é uma coisa só açoriana. Isto de comer é o mais elevado desígnio nacional. Viva ao cozido, viva os Açores, viva Portugal. (Se não gostam de cozido, podemos combinar uma caldeirada).

6. Há baleias?

Esta é a pergunta a que todos sem excepção gostariam de responder. Nós, num enorme esforço de auto controle, para evitar a piada fácil, podemos avançar que no Verão é época alta e passam dezenas de espécies diferentes pela nossa costa. Se teve piada acreditem que foi sem querer.

7. Banhos no calhau.

Praia é tão 1980 e depois tem aquela coisa, como se chama?…. A areia! Uma chatice, não fosse o calhau. O calhau é formado por lava solidificada que cria uma espécie de barreira/piscina natural. É claro que também já há calhau feito pelo homem. Mas os melhores foram feitos pelos vulcões. E um vulcão sabe o que o faz, pois criou dezenas de piscinas naturais espalhadas um pouco por todas as ilhas dos Açores.

8. A Ferraria

Este é por definição o calhau mais extraordinário de sempre, porque quando a maré está baixa a água aquece quase ao ponto de cozer um ovo, (nota mental: levar ovos), mas quando a maré sobe o mar empurra água fria para dentro da piscina misturando-se com a água quente, até ficar a temperatura perfeita para um banho no meio do Atlântico. Inesquecível e sem conta de condomínio para pagar no fim do mês.

9. Touradas à corda na Terceira.

Sabemos que não é um assunto consensual. Há quem goste muito e há quem não goste nada. No entanto, ao fim de um minuto a ver pessoas a fugirem dos touros, quase trepando paredes lisas, não deixa de ter a sua graça. Na Terceira já existem várias gerações com nódoas negras e escoriações um pouco pelo corpo todo, chegam até a fazer competição entre si! O que levou mais pontos, o que ficou inconsciente durante mais tempo, o que perdeu mais sangue… Enfim!…

10. Vinhos do Pico

Conta-se a história que os Czares vinham comprar vinho verdelho ao Pico. Os Czares não eram parvos convenhamos, a Vodka não sabe a nada para além de álcool puro! Entretanto, perdemos todas as vinhas por causa de uma praga e os czares não voltaram. Só voltou a Unesco para reconhecer que a paisagem vínica do Pico é património da humanidade. Desde aí os vinhos começaram a melhorar. E se ainda não valerem a viagem, o Pico paga a diferença, pois esta ilha é, nem mais, nem menos, o coração dos Açores.

11. Santo Cristo dos Milagres

O que é que faz um conjunto de homens andar horas a fio pelas rua da cidade com um andor que pesa quase meia tonelada?! É a fé, é a devoção, é o Culto ao Senhor Santo Cristo dos Milagres. Para além disso, temos as farturas, os gelados de máquina, as comidas nas barraquinhas, os carrinhos de choque, o bazar, arrematações, promessas, vigílias, missas e jogos de futebol que ficam na história por garantirem a subida de um clube de futebol açoriano à primeira divisão nacional. Se esta ainda existir lá para os fins de Agosto, quando arrancar o campeonato…

12. Peter Café Sport no Faial

O Peter’s já era conhecido pelo seu Gin, muito antes sequer de existir Gin português. Aliás, até antes do senhor que fundou a fábrica de Gin ter nascido. É isto que o Peter’s continua a ter de bom, não há modas passageiras, tudo é história, até os copos, que são os mesmos quase desde que o senhor que fundou a fábrica de Gin tirou a carta de mota.

13. Fajã de Santo Cristo

Fica ali ao lado, na ilha de São Jorge, a uma distância que dá para ir a pé, não fosse o Atlântico. A Fajã tem um bocadinho de tudo, só não tem electricidade. Partindo do princípio que não poderá carregar o telemóvel, que pode comer as melhores amêijoas do mundo, fazer surf ou windsurf e não fazer mais nada o resto do dia, então é porque talvez estas sejam as melhores férias de sempre!

14. Precisamos de usar o Google Translate para perceber o que os Açorianos dizem?

A ideia que fica é que o Google Translate não está está preparado para a quantidade gigante de expressões idiomáticas, coloquialismos e sotaques que mudam mais depressa que as freguesias. No fundo, nem o Google Translate, nem ninguém está preparado para isto. Não vamos dizer que são precisas legendas porque este é um assunto tabu e normalmente acaba em porrada, mas que requer golpe de asa e de ouvido, lá isso requer.

15. Quem é tê pá?, por exemplo.

É uma adaptação directa do americano, (sim, aqui não falamos inglês, mas sim americano), que quer dizer, mais coisa, menos coisa Who’s your daddy? Isto normalmente vem a reboque de termos feito uma coisa fixe por um amigo ou familiar. É uma espécie de “Sou ‘muita’ bom não sou?!”, mas com muito mais pinta.

Estes são apenas 15 factos sobre os Açores. Existem muitos mais, mas já estávamos a ficar com a vista cansada.

PARTILHE ESTE EVENTO:

Logo_footer   

   

error: O conteúdo deste evento está protegido!